segunda-feira, 4 de julho de 2016

Quero um amor passageiro...



Amor passageiro tem leveza, frescor, parece mais real para mim. Ninguém cansa, ninguém perde, todo mundo vive, de verdade, cada dia. Amor assim nunca acaba, mesmo quando acaba. É tão intenso que um dia pode valer por uma vida.
Não falo de jogos. Não falo de sedução. Não falo de conquista; falo de encontro, falo de mágica, falo de conexão. Que a gente se comprometa em fazer um ao outro feliz.

Quero um amor passageiro, que fique até quando decidir ficar. Esse é bem-vindo por aqui.


Ele sabe que pode ir embora quando quiser. E é por isso que costuma demorar para querer sair. Ele se sente livre e isso dá uma paz que você não imagina. Amor assim é que é bom. Ninguém pede para o outro ficar; ele fica porque quer. E sabe que quando quiser partir, ainda assim foi amor. Dos mais sentidos, aliás.
Pode durar um dia, uma semana ou a vida toda. Ainda assim, quero desse jeito: passageiro. Mesmo que escolha ficar por mais tempo.

Amor passageiro não cobra passagem. Ele vem e vai, sem garantias. Quero assim. Ninguém promete nada; ninguém cobra nada. Aliás, tem uma coisa que a gente promete sim: promete que vai ser intenso e vivido com cada parte de nós. Gosto dessa coisa de viver o agora, de estar presente, de estar aqui.

Quero um amor passageiro. E que a liberdade seja a única coisa que prenda ele por aqui.

Quero um amor que se renove a cada dia. E que a gente se encante em descobrir o que está diferente. E que a gente não se acostume com nada. Que a gente esteja disposto a viver todos os dias como se fosse o primeiro, sem pensar que pode ser o último.


Todos os dias, será um novo encontro. A gente se apresenta e escolhe como vai ser o resto do dia. Você e eu, porque a gente quer assim e só por isso. Quero que a gente sorria e não ache nada comum. Quero continuar descobrindo o que acho incrível em você, como se fosse pela primeira vez.

Quero um amor passageiro, que não olhe a hora no celular, que não me ligue para saber que horas vou chegar. Que me deixe livre para voar, mas que me dê motivos para ficar.

Quero um amor que não me peça para explicar, que não me pergunte o que estou sentindo, que não me peça para dizer nada; que apenas decida sentir junto comigo. Ou sentar para olhar as estrelas. Às vezes, eu também não sei o que se passa aqui dentro.

Quero um amor que seja menos, que esteja mais, aqui, neste momento. Que me faça me sentir completa, mesmo quando está longe.

Não quero um amor bonzinho; quero um amor real, que desista de nós se estiver pesado demais.

Quero um amor que brinque, pule, cante, dance, mas que quando a brincadeira cansar, ele saiba dizer que cansou de ficar ali e vá para onde ele for ficar mais feliz.

Eu também não sei o que estou fazendo direito, mas se estou aqui, prometo estar inteira e com verdade. E isso é tudo o que importa. Eu quero um amor que não precise estar; que escolha estar.


Quero um amor passageiro porque ele não me faz pensar no futuro; eu vivo o agora e isso é tudo o que a gente tem. Prometo fazer durar para sempre, enquanto ele for verdade para nós.

Quero um amor que me faça sentir frio na barriga por não saber o que vai acontecer. Que me faça querer descobrir você. Que me faça querer mergulhar em mim. Que me permita olhar nos seus olhos algumas vezes mesmo quando não tenho o que dizer. Que me permita ficar quietinha, se eu não souber o que falar.

Quero um amor que dê asas, que faça feliz, que transforme, que seja mais. Sempre mais.

Quero um amor que me desperte para saber que eu tenho que continuar buscando a minha melhor versão todos os dias.

Quero um amor que transborde. Transborde de mim, de você, de nós, mas sem nós. No máximo, laços. Dos mais coloridos e lindos. Gosto assim, sabia?

Quero um amor assim, desse jeito passageiro, mas que me conduza para uma grande aventura: ao redor do mundo ou debaixo das cobertas.

Quero um amor com gosto de brigadeiro, mas sem a culpa de depois.


Quero um amor em que a gente se ame de verdade, sem se preocupar em dizer que é amor. A gente pode nem saber que é amor. Se for amor, já basta para mim.

Quero um amor sem contratos, sem acordos, sem combinados. A gente se encontra e vê no que dá.

E, para quem pensa que é superficial, talvez não entenda o que quero dizer.

Quero um amor passageiro! Isso mesmo: passageiro. Um amor que, mesmo que passe, dure para sempre.



© obvious