quarta-feira, 15 de junho de 2016

Stress nas férias?






O verão é tipicamente uma altura do ano desejada por uma grande maioria. Faz lembrar as férias, lazer, tempo livre e descanso mas ao contrário do que se possa pensar, nem todas as pessoas apresentam nesta altura do ano boa disposição. Algumas, pelo contrário, sentem-se mais ansiosas, irritadas, perdem o apetite e têm dificuldades em manter um sono descansado.

No verão, podem surgir alguns sintomas como insónia, perda de apetite, alterações de humor e agitação. Acredita-se que estas alterações de humor no verão possam estar relacionadas com o aumento de luz e temperaturas elevadas, pois a luz influencia o nosso relógio biológico interferindo nos ciclos de vigília e sono, mas também no humor.

Todas estas alterações se manifestam de formas diferentes entre as pessoas, no entanto, quando estas mudanças passam a apresentar problemas significativos no dia-a-dia é importante procurar ajuda especializada.

As férias de verão podem tornar-se uma fonte de stress em algumas circunstâncias:

- Quando pensamos em férias muitas vezes planeamos sair de nossa casa e ir para um local diferente do habitual o que implica algum investimento monetário. Pessoas com dificuldades financeiras podem sentir dificuldades na sua concretização o que pode levar a sentimentos de frustração.

- Para quem está a passar por alguma crise conjugal e/ou familiar poderá ser difícil gerir o tempo em família durante as férias. Por outro lado, para aqueles que se sentem sozinhos ou estão a passar por processos de luto, esta altura do ano associada a lazer/prazer também poderá ser bastante inquietante.

- No verão existe também uma grande preocupação com o corpo, uma vez que está habitualmente mais exposto. A insatisfação com a aparência física pode levar ao evitamento de algumas situações sociais (p.e. ir a praia) e consequentemente ao isolamento.

- Existe ainda uma necessidade inerente às férias de nos adaptarmos ao novo ritmo de sono e de alimentação, à mudança de local, actividade física diferente, ao convívio condensado com quem nos desabituámos de lidar e ao confronto com expectativas sociais que idealizam capacidades relacionais.

Para encontrar um maior bem-estar nas férias:

1. Planeie as suas férias com tempo. O que realmente quer fazer, com quem quer ir, quanto dinheiro pode gastar e que obrigações não quer ter nesse período.

2. Durma entre 7 a 8h por dia. É durante o sono que o cérebro integra as experiências, aprendizagens e processa emoções, adquirindo melhor disposição para o dia seguinte.

3. Cuide do seu bem-estar. Respeite as suas necessidades para que possa conviver em maior paz e harmonia. Procure actividades que lhe proporcionem prazer e bem-estar.

4. Relaxe. Considere a possibilidade de incluir na sua rotina diária algum tipo de relaxamento, que possa funcionar como uma descompressão de energia negativa acumulada.

5. Viva cada momento. É no presente que a vida se desenrola. Deixe de viver as suas preocupações ou obrigações.

6. Reflicta. Quando se começar a sentir angustiado, por pensar que as férias estão a terminar, aproveite para direccionar o raciocínio de uma forma construtiva: O que gostaria de modificar? O que gostaria de experimentar de diferente? O que pensa poder aumentar a sua qualidade de vida? Assim, em vez de permitir que se instale um humor melancólico, poderá estar a canalizar as suas energias de uma forma verdadeiramente útil para si. A pausa das férias constitui um bom momento de distanciamento crítico, que nos permite olhar para a nossa vida com novas perspectivas e, por vezes, encontrar soluções simples e práticas para problemas do dia-a-dia.



Psicóloga Clínica
Catarina de Castro Lopes





www.psinove.com