sexta-feira, 27 de maio de 2016

Eu quero um amor para chamar de Amor...






Nos sonhos da maioria dos seres humanos um dos maiores desejos é encontrar alguém para dividir essa rotina diária chamada vida. Queremos alguém para ir ao cinema, para esquentar os pés, para dividir uma refeição, para beijar a hora que quiser, para dizer: eu te amo!, e queremos isso tudo tão ardentemente que muitas vezes não chegamos a escolher, deixamos a vida, o momento, a circunstância tomar partido e escolher por nós esse outro alguém e aí vai depender de uma mistura assim: sorte +momento certo + pessoa certa + lugar exacto. Acreditar que um amor pode ser escolhido ou desenhado a partir dessa fórmula é se condicionar a sorte ou destino.

Já eu prefiro, acreditar que vou encontrar meu amor em qualquer esquina, desde que eu esteja preparada para recebe-lo e para isso não preciso contar com a sorte, com a balada do momento ou com a sessão de congelados, para isso eu acredito que irei fazer a diferença quando eu me posicionar perante a minha vida sabedora das decisões que me fazem melhor diferenciando as escolhas que não me garantem futuro. O que também não quer dizer que o meu jeito de pensar é o certo, apenas funciona para mim assim, hoje. Eu não ando mais querendo agradar ou passar por cima das minhas vontades, eu não quero homens que me leiam e no final fecham o livro e vão embora, eu quero alguém que venha para ficar, para estar comigo nas melhores e piores situações da minha vida. Relacionar com alguém automaticamente implica entrega, mas de que forma vou fazer essa entrega? É isso que me preocupa hoje em dia, sou aquela que acredita que marido se encontra em qualquer esquina, mas eu quero mais, quero alguém que ao meu lado seja soma, seja multiplicação, que caminhe comigo e juntos vamos nos guiando. Ter alguém para chamar de meu, já passou pelos meus formulários, mas hoje eu quero muito mais a realidade, nua, crua e dura de viver um amor que vale realmente a pena pelo simples fato de não ser eterno ou verdadeiro, mas por ser real e ser agora.

Um relacionamento não precisa de muito para existir, basta que duas pessoas se gostem e decidam passar um tempo juntas ou uma vida inteira, mas nós complicamos: ou porque queremos demais ou queremos de menos, não sabemos a medida exacta para ter um bom relacionamento e sabe porque, a maioria das vezes e dos casos, não temos essa dosagem correta? Simplesmente porque não conhecemos nossas profundidades, não conhecemos a nós mesmas, não nos deixamos estar em algo realmente fantástico e maravilhoso por que conhecendo o pouquinho que conhecemos a nosso próprio respeito, não nos sentimos merecedores e assim, tudo passa a existe nessa energia de não merecer, não haver possibilidades, de não ter ninguém que vá somar conosco, então, qualquer um serve.

Ninguém vem com bula, manual de instruções e os relacionamentos, em sua maioria e sem definição de padrão, ou seja, relacionamentos entre mãe e filha, marido e mulher, irmã e irmão, qualquer um deles foram feitos para dar certo. Desde que você não esteja com aquele esquisitão que não combina em nada com a sua vida e que você decidiu se relacionar amorosamente apenas para não estar sozinha, acredite em mim, relacionamentos foram feitos para dar certo, porque nós não nascemos para estar sozinhos, nascemos para estar com alguém. Então pare de se torturar e procurar nesses cantos vazios que você tanto já andou. Faça um caminho novo para ir à padaria, frequente ambientes que realmente são agradáveis para você, compre um livro, assista um bom filme. Esteja em paz na sua companhia e dedique um tempo a se ouvir, com certeza, se você consegue ouvir os teus sinais, então eles estarão claros para o mundo!