segunda-feira, 21 de março de 2016

Asportuguesas?


Não são as Havaianas, mas são Asportuguesas, assim, tudo junto. E não são de borracha, mas de cortiça. As chinelas de enfiar o dedo, também conhecidas por flip flops, são de cortiça e chegaram ao mercado graças a uma parceria da Corticeira Amorim com a startup Ecochic.

Asportuguesas chegam ao mercado com 11 modelos, todos com sola de cortiça, “orgânica e confortável, a que se junta uma divertida paleta de cores”, diz a Amorim em comunicado.

A empresa, em 2014, criou a Amorim Cork Ventures com o objectivo de promover novas ideias e novos negócios que tenham como matéria-prima a cortiça. Foi assim que nasceu a colaboração com a Ecochic, de Pedro Abrantes.

Para Nuno Barroca, vice-presidente da Corticeira Amorim, este novo produto tem uma “abrangência internacional e preenche uma lacuna no mercado”. Por seu lado, Pedro Abrantes elogia a “oportunidade” de trabalhar com uma empresa com o know how da Amorim, “quer em termos de conhecimento do material, quer em termos de força de distribuição”, o que foi decisivo para a criação deste calçado.

Não só as solas são em cortiça como têm um desenho que permite que sejam confortáveis ao caminhar, além de uma tira ergonómica e maior resistência. Asportuguesas são para homem e mulher. E estão à venda em lojas multimarcas, assim como no site. Os preços variam entre os 26,90 e os 39,90 euros.

Segundo o comunicado, desde o lançamento da Amorim Cork Ventures, esta já recebeu mais de 190 propostas e apoiou 17 projectos, dos quais já resultaram três startups (a Ecochic, uma empresa na área dos têxteis de decoração e outra dedicada à injecção de compósitos de cortiça e polímeros), estando outras duas prestes a serem constituídas.

Até ao início de Maio, a empresa tem aberto novo período de candidaturas para empreendedores com ideias ou projectos em cortiça.