terça-feira, 29 de março de 2016

A Inveja





Por que não eu? É assim que o invejoso se indaga, sem se a ter ao facto de que a inveja é um obstáculo que inviabiliza os seus próprios sonhos. A busca pela felicidade é um objetivo comum a todas as pessoas. Todo mundo tem direito a um lugar ao sol, basta saber e querer chegar. O êxito e o fracasso são separados apenas pela linha tenue da ousadia. Ouse, então! Jogue-se nos braços da vida e faça suas coisas acontecerem. A inveja é um sentimento que intoxica, que envenena a alma e que desvia os invejosos dos objetivos aos quais eles deveriam dar mais importância. Viver bem é ser feliz com o que se tem e ainda manter-se forte para buscar o que falta.

A predisposição de alguns de se sentirem contrariados com felicidade do irmão faz com que tudo à sua volta pareça pesado, negativo, obscuro. Para os que se deixam dominar pelo espírito maligno da inveja, o querer não é poder. A esses resta a lamentação, o olho grande, o rancor e o desejo inócuo de querer para si o que é do outro. Vigie seus sentimentos. Não queira ferir e nem atropelar a felicidade de ninguém, por achar que as coisas boas só acontecem com os outros. O sol brilha para todos, sem privilegiar ninguém. Abra a janela e veja. A luz que um vê é a mesma luz que ilumina todos os olhares do mundo.

Qualquer frustração, por menor que seja, torna-se um espinho gigantesco cravado no coração de quem trocou a esperança de viver dias melhores, pela inveja que faz a gente se deixar sempre em último lugar. Se a felicidade do próximo nos perturba, que tipo de felicidade nós podemos querer para nós mesmos? Ficarmos abatidos por um sonho temporariamente desfeito é perfeitamente normal. O que não é normal é a gente sofrer quando vê outra pessoa feliz. O sucesso é o resultado do merecimento e da perseverança de cada um. O fracasso é apenas uma vírgula no tempo, ou uma pedra no caminho das nossas conquistas.

As pessoas que se deixam levar por esse sentimento maldito, que insiste em querer desbotar a alegria dos seus semelhantes, certamente não são movidas pelo bom impulso que conduz os merecedores à vitória. Inveja não é atalho. Inveja não é solução. Inveja não é luz no fim do túnel. A inveja é uma nódoa que mancha as faces daqueles que deixam de lutar suas próprias guerras para se ocuparem com o alheio.

A inveja não acrescenta, não eleva e não ameniza. Pelo contrário. Ela só atrasa a vida de quem sente. Porque feliz é aquele que se alegra com a felicidade do próximo. Feliz é aquele que se espelha no vitorioso para alcançar também a sua glória. Quem semeia boa sorte colhe frutos mais doces. Quer chegar a algum lugar? Inspire-se e vá à luta. Dispa-se da inveja e vista as cores do bem querer. Viva e deixe viver! O que é do homem a inveja não come.


Renée Venâncio