sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

O QUE É REALMENTE O CHEIRO DA CHUVA ?





Aquilo que nós apelidamos carinhosamente de “cheiro de chuva” vem de uma substância química chamada de geosmina, que quer dizer “perfume da terra” em grego. Ela é encontrada num tipo específico de bactéria do solo, a Streptomyces coelicolor.

As bactérias geram células reprodutoras quando estão secas e, quando chove, essas células (chamadas também de esporos) se espalham pelo ar. Pois é, é como se os espermas dessa bactéria saíssem voando por aí.



Os ventos fortes das chuvas carregam o cheiro desses esporos, fazendo com que eles cheguem em alguns lugares primeiro do que a tempestade.

Por isso conseguimos sentir aquele cheirinho de chuva antes mesmo de começar a chover onde estamos.

Esse odor característico da chuva têm um nome: petricor – uma combinação das palavras gregas “pedra” e “fluido eterno”. Ele não é tão forte assim nas cidades grandes, porque há menos geosmina presente. O cheirinho da chuva é bem mais perceptível e gostoso na fazenda ou em outros lugares com bastante natureza em volta.




Tá sentindo o cheirinho daí?

Antes da chuva começar, outro cheiro que podemos notar também é do ozônio. O ozônio se forma a partir de cargas elétricas de relâmpagos, por exemplo. Ele libera um odor metálico, que é carregado pela corrente de ar, anunciando a tempestade.

Conseguimos perceber isso tudo também porque a mudança na pressão da atmosfera e na umidade do ar afeta o nosso olfato. Quando a pressão é maior e está mais úmido, o olfato tende a ficar mais aguçado. Podemos identificar que o clima está mais húmido (e até prever que vai chover), porque o cheiro de tudo fica mais intenso.




É possível sentir os dois aromas ao mesmo tempo: do petricor e do ozônio antes de começar a chover. Só que ainda não inventaram um nome para a mistura dos dois. Que nome você daria?






Muito Interessante