sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

HOJE É SEXTA -FEIRA



Acordou atordoada. Seu despertador eram os grupos do whastapp que madrugavam. Olhou-se no espelho no seu ritual de rotina. O desfrizante novo não deu jeito no cabelo, o rosto lembrou a dívida com a Mary Kay. Comeu pouco no café da manhã, mas prometeu mentalmente ir à academia. “Putz, tenho que comprar batata doce”. Antes de sair, postou a célebre frase HOJE É SEXTA-FEIRA AMOR! e hashtags de acompanhamento.

O dia inteiro sentada em frente ao computador… Chegou em casa cansada demais pra fazer valer a frase animada de sexta. Esquece a academia também, vai. Ligou a TV, ligou o PC, não curtiu nada no face para não acharem que estava em casa, ou será que poderiam pensar que ela estava em algum barzinho com wi fi por aí? Ai que preguiça. Nenhuma foto hoje no insta e uma carência absurda. Bem que ela sairia se soubesse de algum abraçaço em praça pública. Mas só tinha o cd do Caetano.

Ficou com a TV mesmo. Até tentou fazer uma reflexão crítica sobre o machismo das tramas novelísticas, nas quais sempre tem uma dúzia de mulheres atrás de um homem só. Mas, foda-se hoje é sexta-feira. Ah, mas Globo Repórter não! Recibo de velha. O Pânico já prestou (ainda que nunca tenha prestado de fato, enfim). SBT fora de cogitação, Record… Esquece! Foi procurar consolo com azamigas no whats que também não saíram por falta de grana, saco ou coisa parecida. Só a Luciana não estava online. Foi passar o fim de semana na praia do forte. Filha da puta! Tomara que chova o fim de semana inteiro. Perdão meu Deus.

Não dormiu antes das duas da manhã. Antes disso, nem menina de treze nos tempos de hoje. No dia seguinte acordou as dez, deu um tempo para apagar as olheiras (o que não deu muito certo) e postou uma foto no instagram usando óculos espelhados, com a legenda: Bom dia! #Sabadão!


Voltou pra cama.






Borboletas e Nostalgia