segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

DESCULPE











Desculpe,
mas não me interesso pela perfeição, ela é entediante e divina e eu gosto do humano.
Desculpe,mas não ligo para intelectualidade, a inteligência que eu aprecio é aquela capaz de juntar as pessoas.
Desculpe,mas troco boates caras por um banquinho frente ao mar ou por um momento de amizade com um livro, troco etiqueta de grife por uma camiseta cinza pronta para ser amassada por um abraço.
Desculpe,se eu não fico impressionada com o seu papo sobre o mundo corporativo prefiro o corporativismo das pessoas sem gravatas,que sabem rir juntas. 
Desculpe,mas ainda acredito no amor e nos deliciosos clichês. 
Desculpe,eu nunca fui boa em matemática por isso não separo o amor da paixão ou corpo da alma. 
Desculpe,eu não sou equilibrada sou meio distraída e tropeço nos meus erros, pecados e paixões.
Não decoro fórmulas decoro a vida.
Desculpe,a felicidade é importante para mim assim como a tristeza.


Desculpe...








Recomeçar