domingo, 31 de janeiro de 2016

UM FUTURO





Um futuro. Futuro incerto. E contas para pagar, comida para comprar. E tantos lugares que se pode conhecer, né? Futuro. Futuro incerto, o que é que você me reserva? Um emprego só para pagar as contas, ou que me realize e ainda me sustente? Um amor, ou dois pelo caminho? Uma casa pequena ou grande, ou nenhuma? Filhos? Sorrisos e lágrimas. Cidade pequena ou grande? Talvez uma média… Quem sabe? Será que ainda estarei por aqui em um futuro incerto?

Futuro. Futuro incerto. Você que não tem um fim definido, não é mesmo? Ah, futuro, eu de cá já me preocupo com você, mesmo você sendo tão incerto, pode isso? E não sei se deveria, mas tudo que eu faço actualmente parece influenciar você directamente, meu futuro, e isso dá medo, sabe?

Eu hoje quero ter uma conversinha com você, posso? Quero te dizer que eu, mesmo com esse tamanho todo, ainda me sinto pequena, entende? Eu me sinto insegura e desejo tantas coisas e preciso da sua ajuda e não me entenda mal, é só que seu lugar, meu futuro é no futuro, então você não deve estar entre minhas preocupações do meu presente, você me entende?

Você poderia ficar quietinho aí e me deixar “quebrar a cara” e o que mais for preciso, e lá no futuro a gente resolve o que tiver que resolver, pode ser?



Borboletas e Nostalgia