terça-feira, 5 de janeiro de 2016



Tudo



Tudo. Antes, tudo que eu tinha era uma mão vazia e um coração esperançoso, para ter outra mão que me segurasse. Porque o mundo gira muito veloz e a gente precisa de alguém para segurar a mão e não cair, apertar forte quando o medo vier ou voar junto quando algo belo acontecer. E há tantos dias tu chegou e o meu tudo se tornou. Porque o amor é tudo que há em tu. É tu do riso tampando a rosto com a almofada e fechando os olhos. É tu do plano diário de turistar tornando o trabalho pequenos intervalos entre viagens. Tu do passo de dança atrapalhada mais no ritmo que existe. É tu do cumprimento "ei, travesti", para cada amiga. É tu do jeito mais másculo de ser absolutamente avesso. É tu do apaixonado estranho jeito de amar me deixando irritado. Tu do improviso planejado para me fazer gargalhar, do jeito de criança que, por manha, se recusa a crescer. É tu do modo de finalizar cada história dizendo "e tudo". É tu do dizer sincero que às vezes rasga o peito, mas cicatriza a alma. É tu do coração "belíssimo", do abraço quente, da piada pronta, da implicância garantida, da companhia certeira, do dia a dia iluminado. É tu do amor de melhor amigo, que brinca, briga e é brisa para aquietar. É tudo, é todo, todo teu tudo que há em mim. Hoje, tudo que eu tenho é uma mão para segurar porque amor é segurar uma mão, soltar o coração e plantar sonhos a dois, a cada beijo, a cada grão. Porque agora o mundo gira, mas é tudo meu, assim. Tudo para mim é tu do meu lado para mim.


Eusoqueriaumcafe.