sábado, 30 de janeiro de 2016

Possível carta à Isabelinha ( escrita em meados do séc. XX)

30de Janeiro de 196...

             Querida amiga,

Como tens passado? Espero que esta carta te vá encontrar bem de saúde.
Eu tenho estado muito engripada,até fui ao médico que me receitou antibiótico. Graças a Deus,já estou bem melhor.

E o teu Fredy? Tens passeado muito com ele? Toma cuidado com o frio, porque este ano as tardes e as noites estão muito húmidas.

Já tenho muitas saudades tuas. Há já alguns meses que não nos vimos. No último encontro, não tivemos tempo de pôr a conversa em dia,e sabes como eu gosto de ouvir as tuas histórias. Aliás,admiro teu espírito aventureiro, a tua coragem em enfrentares as adversidades que o destino te deu, enfim uma vida recheada de encontros e desencontros...

Não sei se te disse, desculpa se já te contei,mas a minha memória vai falhando é muito...
Passei o Natal em casa do meu filho, na Holanda. Olha, levava a mala carregadinhade chouriças, de bacalhau e umas garrafinhas de azeite, que comprei na cooperativa, aqui da região. Sempre é melhor e mais barato... Aquela gente de lá é muito estranha...não comem nada de jeito,por isso as flausinas que se passeiam pela cidade, são umas magricelas...

Ah ! A propósito da minha memória,sabes o que me aconteceu?
No outro dia,saí e esqueci -me das chaves em casa. Tive de chamar os bombeiros...uma confusão dos diabos : os vizinhos à janela,as portearas a bisbilhotar,os garotos às gargalhadas,olha as " cuscises "do costume ...
 E tenho outra...Não sabia onde tinha deixado os óculos de ver ao perto. Sabes onde os tinha deixado? Não adivinhas!
Estavam no frigorífico!!!
Já tinha rezado a Santa Bárbara para os encontrar,mas ela não me  deve ter ouvido...

Bem amiga, já falei muito de mim. Mas deixa-me ainda acrescentar. Já reparaste como a vida está cada vez mais cara??? Quando  vou à mercearia e levo uma " verdinha ", sabes uma nota de santo António de 20escudos, gasto tudo e só trago meia dúzia de coisinhas. Não sei  onde isto vai parar,não sei não...
Se não fosse a horta em que o meu  Manel planta umas cenouras,umas couvitas não sei como seria!

Bem,agora despeço-me de ti,na esperança de nos vermos em breve.

Um grande beijo desta tua amiga que não te esquece,
Juditinha

Isabelinha (Flor)


Juditinha (Ju)