sábado, 30 de janeiro de 2016

NÃO ME ODEIE POR EU SER FELIZ




Não me odeie por eu ser feliz. Não me queira mal por ir sempre tão fundo em tudo que eu faço. Tudo que eu quero é viver bem sem jamais incomodar ninguém por isso. Eu não quero aquilo que não me pertence.

Eu só quero o que é meu. Quero usar e abusar do meu direito de ser único, próspero e contente. Quero chegar aos meus últimos dias e poder dizer que nasci, vivi e fui muito feliz. O tempo passa e a vida é curta. Eu não quero ficar preso a coisas e nem a pessoas que pesem demais e me impeçam de voar.

Eu gostaria de ser eterno, mas eu não posso ignorar a certeza de que um dia tudo acaba. Que pena! E por assim saber e por ter uma sede tão grande de vida, o que me resta é existir com plenitude e saborear as delícias de cada instante como se fosse o último.

Eu me recuso a ser um mero expectador dos acontecimentos que me envolvem. Quero desenhar um caminho bonito para eu trilhar. Se os passivos e os submissos preferem a comodidade de ficar vendo a vida passar através da vidraça, eu prefiro ir à luta e faço questão de melhorar a cada dia o roteiro da minha história.

Eu sou do time dos que querem mais, dos indignados, dos espíritos livres, dos desprendidos, dos realizadores. Detesto boçalidades, modismos de ocasião, hipocrisia, costumes baratos, liturgias de papagaio e essa mania que as pessoas têm de quererem ser umas iguais as outras. A vida é curta demais pra gente desperdiçá-la tentando subir no conceito dessa gentinha que não fazem a mínima questão de nos enxergar com bons olhos. A vida é passageira demais para gente ficar preso aos limites da incapacidade alheia.

Eu tenho fé e apreço por mim mesmo. Ninguém além de mim vai escolher o meu rumo e as minhas certezas. Ser feliz é para quem tem coragem de ousar e força para seguir um caminho que verdadeiramente lhe pertença. É claro que nessas idas e vindas a gente vai parar, hora ou outra, para prestar atenção em pessoas que realmente fazem a diferença, mas o segredo da felicidade está na pessoalidade dos nossos sonhos e das nossas escolhas.

Um caráter se forja na quentura das opiniões próprias e no desejo apaixonado de ser autêntico sem ser intransigente. Preste muita atenção em quem você admira. Muitas vezes a gente “paga pau” para as pessoas erradas. Não se iluda. Recuse imitações. Faça você mesmo o seu caminho.

O tempo passa rápido e a vida é curta demais. Não desperdice fôlego cuidando do alheio, se atendo a opiniões que só convencem os tolos, ou querendo agradar a todo mundo. Olhe para dentro de si e conheça a vastidão do seu mundo interior. Originalidade e amor próprio não fazem mal a ninguém, e ser unanimidade é uma vã utopia. O que os nossos olhos vêem são só imagens. O que os nossos ouvidos ouvem são só ruídos.

Mas o que o nosso coração sente é o que verdadeiramente vale. É a ele que devemos obedecer. É a ele que devemos satisfazer. É a ele que devemos prestar contas.

Não queira me destruir por eu viver em paz comigo mesmo. Despreze-me, ignoreme, afaste-se, fique bem longe de mim, mas não tente me machucar por eu ter tanta gente ao meu lado, pois eu sempre vou prevalecer, não importa o que aconteça. Eu tenho um Deus forte sempre comigo. Eu não sou igual a ninguém e não nasci para viver pouco. Os meus sonhos não têm tamanho e eu tenho fome de conquistar o mundo. Viva e deixe-me viver. Tudo ficará melhor se cada um cuidar do seu próprio mundo.

Eu não abro mão de mim. Ninguém pode viver a vida por mim. Ninguém pode dizer o que é melhor para minha vida. Se eu sou feliz assim, o que alguém que não sabe o que se passa no fundo da minha alma pode dizer contra? A felicidade nos concede um certo ar de leveza que incomoda os frustrados. A felicidade nos proporciona um sorriso tão fácil que quase ofende os recalcados. A felicidade faz a gente brilhar, e isso desagrada os invejosos. Que mal há em ser feliz? Não me deteste por isso.

Sendo assim, se uns preferem se matar trabalhando e se esquecendo de se divertir; se outros preferem passar a vida toda juntando dinheiro, vivendo de aparências ou simplesmente não vivendo, eu prefiro ser feliz ao meu modo e com a amplitude imensurável do meu olhar. Os inseguros que me perdoem, mas esse é o meu caminho, e dele eu não me desviarei enquanto eu me sentir bem por estar no lugar certo. Quem quiser vir comigo, seja bem vindo, mas quem não for capaz de me acompanhar, que me deixe seguir em frente porque o tempo é valioso e ele não pára, haja o que houver.

Esse é o meu recado aos que não gostam de mim e apostam no meu fracasso. Esse é o meu espinho enroscado na garganta dos que querem me ver de cabeça baixa e amargando algum tipo de tristeza. Lamento muito, mas se eu incomodo alguém sendo como eu sou, eu juro que não é por maldade. É que ser irremediavelmente feliz foi a única maneira que eu encontrei de viver bem e de aceitar a mim mesmo. Não me odeie por eu ser assim. A felicidade é a luz que ilumina os meus caminhos.