quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

AMOR TRAVESTI



 Arte de Liliam Cuenca

Você está solteiro e procura alguém: tem alguém idealizado dentro de você, a mulher perfeita para o resto dos seus dias. É capaz de desenhar e estabelecer pré-requisitos: desde altura, peso, cabelos até cor dos olhos. Se alguém pedisse um retrato falado da mulher dos seus sonhos, você não teria dificuldades em descrever.

Toda pretendente passa pela triagem de suas pretensões. Você repara na profissão, estuda afinidades, avalia o jeito que se comporta nas fotos. Descarta qualquer interessada com alguma dificuldade, ou com uma visão de mundo diferente da sua.

Você faz exigências, que seja assim, que goste disso, que goste daquilo, que acompanhe em suas atividades, que seja paciente e amorosa.

Esta pessoa que você espera é você. Você vestido de mulher. Você está querendo um traveco. Você quer casar consigo mesmo.

O amor não é se repetir. O amor não é encontrar o que esperamos, vem quando encontramos aquilo que não esperamos, aquilo que modifica a nossa personalidade, que altera a nossa vida, que bagunça as nossas crenças.

Se odeia cachorro, vai amar uma mulher com cachorro. Se odeia criança, vai amar uma mulher com filhos pequenos. Se odeia sertanejo, vai amar uma mulher que tem todos os CDs de Jorge & Mateus.


Amor não é espelho, é vidraça. E vidraça quebrada.


Fabrício Carpinejar