sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

PASSEI A VIDA INTEIRA A QUERER INTERPRETAR -TE...

PAssei a vida intEira a querer iNterpretar-te – 

oh! deLicioso desperDício! –

 e Nem sequEr era por aMor





E lá vai ela mais uma vez, levantar, sacudir a poeira e seguir novamente.
Seus olhos eram de ressaca.....
Trazia um gosto amargo na boca, uma decepção na garganta....
uma poeira no coração!
mas tinha uma alavanca na alma....
dessas que a colocavam sempre pra cima, no topo, de pé...
pé ... pedestal!
E de lá jurou nunca mais sair!
Virou musa, busto, inspiração......
Virou ela!
O avesso do avesso0!