quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

PAI AUSENTE : O QUE ISSO SIGNIFICA NA VIDA DO SEU FILHO



ANDRÉ SANTORO




Participe dos momentos importantes -felizes ou não- do seu filho

Foto: Getty Images


Você sabia que crianças que são ignoradas pelos pais podem levar para suas vida adulta vários transtornos psicológicos? Esse distanciamento da figura paterna acaba até mesmo afetando a saúde do pequeno. A pediatra Melissa Wake, da Austrália, realizou uma pesquisa com quase 5 mil crianças entre 4 e 5 anos. Ela descobriu que a incidência de sobrepeso e obesidade na garotada em idade pré-escolar tem relação direta com a negligência dos papais. Por que isso acontece? Ninguém sabe ainda. "Mas a mensagem principal é que não devemos culpar só as mães pelos quilos a mais dos filhos", afirma. Ou seja, mesmo que elas sejam as responsáveis pela alimentação da garotada, como acontece em muitas famílias


Carinho, atenção, ferormônios... Tudo isso pode ter consequências na formação do indivíduo. E, diante das novas configurações familiares, em que tempo de sobra é artigo de luxo, é preciso estar cada vez mais atento para as necessidades da criançada. Por isso, papai, quando o moleque quiser brincar e você estiver lendo o jornal, pense duas vezes antes de deixar o filhote na mão. Um dia sem atender aos apelos infantis não vai transformar seu pequeno em um jovem problemático, nem doente, nem em um obeso. Mas os momentos que vocês desfrutarem juntos - acredite - vão fazer um bem enorme a ele.
Carinho para quem precisa


O que é um pai ausente? Não, não é aquele que se separou e, por isso, não vê os filhos todos os dias. "Trata-se da figura paterna que pouco ou nada contribui para a formação e a educação dos filhos, independentemente do fato de morar ou não na mesma casa", esclarece a psicóloga Alaide Degani De Cantone. E como participar do desenvolvimento da molecada? A especialista dá algumas dicas: "Participe dos momentos importantes, felizes ou não, procure compreender a criança nos seus momentos mais adversos, orientando-a e propondo alternativas para a vida". Nem sempre é fácil, mas vale muito a pena.


mdemulher.abril.com.br