sábado, 26 de dezembro de 2015

... nem tudo são rosas...


Ana Fonseca da Luz
24/12 às 9:29 ·

Se me vires por aí, no sítio em que a magia acontece, independentemente da hora do dia, e da intensidade dos olhares, manda-me regressar a casa e relembra-me que nem tudo na vida são rosas…
E se eu tapar os olhos com as mãos, quando me mostrares que a vida não é só festa e alegria, que há gente com fome e com sede, que há crianças que secam no peito das mães, que as únicas coisas que têm para lhes dar é amor e lágrimas, destapa-me os olhos e obriga-me não a olhar, mas a ver!
Tira-me a venda do egoísmo e obriga-me a VER, mesmo que doa…
E se alguém chorar, ensina-me, não a ouvir, mas a escutar com o coração e lembra-me, mais uma vez, que os dias devem ser vividos, não só recebendo, mas dando e partilhando, o pedaço de pão que nos sobra, com quem sofre e com quem tem menos do que tu.
E se mesmo assim eu me recusar a ser gente de verdade, mostra-me a realidade, da guerra, da ingratidão, da injustiça e da discórdia, para que eu consiga entender o significado da palavra, partilha.
Esta mensagem não é bonita, mas é para Ti e para Mim que, tal como tu, me esqueço, tantas vezes, que somos mais felizes se fizermos os outros, menos infelizes...


A. Luz

este texto não foi escrito este ano mas, infelizmente, continua actual...