quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

JC Blogs

Coisas que só a Disney faz…

frozen
Difícil encontrar uma pessoa que não goste dos filmes da Disney. Crianças, jovens e adultos se rendem aos encantos das boas produções da equipe do ‘tio’ Walt. Não dá para saber se são as histórias, as músicas ou a arte gráfica em si, mas é possível afirmar que o todo é sempre uma obra prima completa.

Lembro a fita VHS da “Bela e a Fera” que ganhei em um Natal dos meus pais. Ela veio embrulhada em uma caixa de sapatos. Assisti muitas e muitas vezes ao filme. Também fizemos, meus primos e eu, e posteriormente eu e meus irmãos, várias sessões de cinema para assistir às coleções de VHS, que incluíam Aladin, Pequena Sereia, O Rei Leão, Branca de Neve, entre outros.
Nessa semana, finalmente, assisti ao filme ‘Frozen’, emprestado direto da coleção de DVD’s Disney da minha irmã. Há muito tempo que ouvia falar sobre a história e, principalmente, ouvia aquela musiquinha: Let it go, let it go Can’t hold it back anymore. (garanto que você leu esse trecho cantarolando a música!) Minha sobrinha, de exatos oito meses, para de chorar na hora quando a música começa a tocar e percebi que o filme era realmente uma ‘febre’ entre as crianças ao ver a quantidade de roupas, acessórios e brinquedos, que estampavam as irmãs Elsa e Anna.
E não é para menos, a história é linda! Bonito ver uma história que traz uma boa mensagem em um tempo que as mensagens positivas praticamente sumiram do planeta. Aliás, mais bonito ainda ver um enredo que enaltece as relações familiares nesse momento em que tanto se discute o que é família, quem é parte da família e onde estão os valores das relações entre as pessoas com vínculos sanguíneos. O amor entre as irmãs Elsa e Anna deve ser ensinado desde cedo, para todas as crianças.
E, claro, as histórias Disney recuperam o que de melhor já foi feito em termos de história para crianças, sempre baseadas em contos de fadas e livros já consagrados. É possível citar dezenas de filmes, não somente desenhos, mas também aqueles com atores reais, e sempre com mensagens positivas e enredos belíssimos que fazem chorar qualquer marmanjo.
Quem nunca quis uma babá como Mary Poppins? Ou não teve medo de ficar microscópio como em ‘Querida, encolhi as crianças’? Ou, ainda, não quis jogar em um time tão bacana quanto ‘Nós somos campeões’? Só para citar apenas alguns dos principais títulos que fizeram parte da minha história e, provavelmente, da sua também. Afinal, quem não ama Disney?