quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Homenagem a Lucciano Pavarotti


Montblanc Homenageia Luciano Pavarotti com Concerto de Gala

O lendário tenor, reverenciado com a Edição Limitada Patrono das Artes 2015, foi celebrado na voz de Rinaldo Viana.

Alain dos Santos Gerente Geral da Montblanc

 Rinaldo Viana Tenor

A Montblanc reuniu convidados na noite de 8 de setembro, no Teatro São Pedro, em São Paulo, para uma homenagem especial a Luciano Pavarotti ( 1935-2007). O grande tenor italiano e astro da música mundial foi homenageado na voz do tenor brasileiro Rinaldo Viana.


 Rinaldo Viana Tenor Diogo Marques Maestro Orquestra Mozart

Acompanhado do Coral e Orquestra Mozart, conduzida pelo maestro Diogo Marques, Viana cantou a ária “Nessum dorma”, da ópera Turandot, de Puccini, que consagrou Pavarotti, entre outras peças do aclamado repertório de Pavarotti.


Além de seu virtuosismo musical no palco, Pavarotti conquistou plateias do mundo todo com suas extravagâncias únicas, que Montblanc imortalizou no instrumento de escrita da coleção Patrono das Artes – Edição 2015.


Cada detalhe da Coleção Patrono das Artes foi criado por mestres artesãos e utiliza os melhores materiais com a máxima precisão. O corpo de laca preta e a tampa de laca branca da Edição Limitada a 4810 peças representam o smoking preto que Pavarotti usava com uma camisa branca e a gravata borboleta da mesma cor na maioria de suas apresentações. O delicado padrão floral de laca vermelha que adorna ao cone e a resina cabochão turquesa na base do instrumento de escrita são uma reminiscência das camisas havaianas que Pavarotti gostava de vestir fora do palco, como um “Tenor Pop Star”.

O clipe banhado a ouro tem a forma de outro item de marca registrada de seu guarda-roupa distintivo – um dos seus extravagantes lenços, envolvendo elegantemente a tampa. Os cinco anéis banhados a ouro que decoram a tampa são uma homenagem às cinco óperas famosas que deram a Pavarotti fama internacional e fizeram dele um dos melhores tenores do século 20: “Turandot”, “La Bohème”, “Rigoletto”, “Um ballo in maschera” e “L´Elisir d´amore”.


E porque Pavarotti nunca subiu ao palco sem o seu amuleto da sorte, a pena de ouro maciço 750 do instrumento de escrita é decorado com o prego torto que lhe trouxe sorte ao longo de sua ilustre carreira. Coroando o instrumento de escrita, o emblema Montblanc – um selo da melhor manufatura artesanal – é feito de resina preciosa nas cores preta e branca.

A edição se completa com duas outras versões do instrumento de escrita, em edições ainda mais limitadas de 888 e 98 peças.

 Alain dos Santos Gerente Geral da Montblanc

 Instrumentos de Escrita Montblanc homenagem ao Pavarotti

Prêmio Montblanc de la Culture Arts Patronage

A Edição Limitada Patrono das Artes foi concebida para promover o Montblanc de la Culture Arts Patronage Award, uma premiação cultural de prestígio atribuída desde 1992 em 11 países. Essa premiação homenageia os patronos atuais que apoiam artistas com compromisso altruísta e equidade financeira. A cada ano, um júri independente composto por personalidades eminentes seleciona e premia estes patrocinadores da cultura global dos nossos tempos.

A lista de campeões das edições anteriores inclui o Príncipe Charles, do País de Gales, a Rainha Sofia da Espanha e Yoko Ono. Todos os premiados recebem uma recompensa financeira da Montblanc para apoiar seus projetos filantrópicos dedicados às artes.

Sobre a Montblanc

Há mais de 100 anos, Montblanc tem abraçado as tradições de valor duradouro e artesanato requintado. Princípios intransigentes de design, estilo, qualidade e mão de obra permitiram criar coleções de herança, que são passados de geração em geração. O icônico emblema Montblanc é um símbolo de excelência – o auge de instrumentos de escrita de luxo, relógios, couro, acessórios, perfumes e óculos de sol – e a Maison fez o compromisso permanente de incentivar a excelência por meio do avanço cultural. Montblanc tem raízes na cultura escrita e, portanto, vê essa contribuição como uma obrigação especial do seu próprio compromisso cultural. Através de várias atividades internacionais, a Maison faz uma contribuição criativa para a vida cultural moderna escreve um pedaço dessa história.




Via | Montblanc