quinta-feira, 17 de dezembro de 2015




eu lhe ouvi entrar
vi no seu olhar
que estava querendo me atormentar
e reagi sem ver
coração tocando o céu da boca
minha alma louca
ai minha voz saindo
andando sem roupa
nua de palavras
queimando de intenção
digo afogueada
algo sem retorno e sem razão
foi como se pegasse fogo em fria água
como se empurrasse a escuridão,
como se iluminasse
meu amor ficasse pertinho
jurando servidão.