domingo, 13 de dezembro de 2015

CONSTERNAÇÃO



Inclinou-se, ao que lhe era posto: tomou a Rosa,trasmudada de sentido ,numa querência inerte, sobre a palidez daquele rosto estendido. Fixou-a nos olhos à busca de um reencontro.De um leve sinal que lhe pudesse sorrir a salvação; a quebra de um muro imposto. Queria acordar o interrompido. Arrancar a Flor do abismo. Da (in)consequência. Falaciosa. Fenecida.

Beijou-a,sem resposta.


|Patrícia Vicensotti


Intensamenteborboleta.blogspot