quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Como o sorriso faz uma pessoa mais feliz



Trinta milissegundos é o tempo que uma pessoa demora a reagir ao sorriso de outra. E assim se fica feliz.

Sorrir faz bem ao corpo, à mente e é uma reação quase espontânea ao sorriso de outras pessoas. Falando em números, 30 milésimos de segundo é o tempo que o cérebro demora a ‘captar’ o sorriso de outrem e a devolvê-lo com uma expressão facial positiva.

Esta reação é inata, biológica. Diz a ciência que sorrir tem um forte impacto na vida emocional, desencadeando uma redução de cortisol (hormona do stress) e aumentando a produção de hormonas que proporcionam o bem-estar e a alegria.

Em 1980, um estudo de Burk R. revela que um simples sorriso é capaz de fazer uma pessoa feliz, seja a que sorri ou a que é ‘presenteada’ com um sorriso. Mas o contrário também acontece: o ar carrancudo de uma pessoa é capaz de aumentar os níveis de tristeza de outra.

A estas conclusões, Buck R. deu o nome de ‘hipótese facial’, isto é, a reação emocional à expressão facial de outra pessoa. E esta ‘hipótese facial’ pode mesmo ser ‘contagiosa’.

Diz ainda a ciência que sorrir faz com que uma pessoa seja mais feliz por conseguir reduzir a sensação de dor. E até mesmo o sorriso amarelo pode ser uma lufada de ar fresco para as pessoas: um sorriso forçado é capaz de reduzir os níveis de stress e de aumentar a felicidade de uma pessoa.

Reduzir a pressão arterial, melhorar o sistema imunológico e reduzir os riscos de doença crónicas são outros dos efeitos benéficos do sorriso, seja o seu ou o de outra pessoa.

Clique aqui e saiba o que a ciência já descobriu sobre o sorriso.