sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Como detectar o fim do encanto em uma relação


Quando começamos a sair com alguém, prometemos muitas coisas. Não vemos certas atitudes do outro, pensamos que vamos ficar juntos para sempre, etc.

Infelizmente, as “promessas” que podemos fazer, sempre cheias de boas intenções, estão sujeitas a problemas ou a reviravoltas inesperadas da vida.

(A mente é maravilhosa blog)




Estas diferenças podem ser mais notáveis quando o casal decide se casar ou morar junto, uma vez que existem outros compartilhamentos, outras responsabilidades e outros momentos para passarem separados.

Muitos casais, a priori, acabam fazendo deste momento tão desejado um mundo a parte, e a adaptação não é nada fácil. São momentos onde muitos casais percebem que não funcionam bem juntos, ou que são incompatíveis, mas se agarram com unhas e dentes a um relacionamento que é mantido apenas por uma rotina, um conjunto de hábitos que os torna infelizes.

Nestes momentos é necessário regenerar o amor que existia no início, antes que ele desapareça completamente. Nesse caso, já não haverá nenhuma terapia ou remédio para curar o que está morto.

O fim do encanto não acontece da noite para o dia; ele se manifesta gradualmente. É como uma formiga que está carregando migalhas de pão para o formigueiro.



Na maioria dos casos, não percebemos o que está acontecendo porque estamos muito ocupados com outros assuntos como o trabalho, a rotina, as crianças, o nosso crescimento pessoal, etc.

A desilusão, dizem os especialistas, é um processo gradual de acumular uma decepção atrás da outra.Se você ficar alerta e atento aos seguintes sinais que aparecem no relacionamento, você poderá evitar a separação e, acima de tudo, recuperar a magia que tinham nos primeiros dias.
Sinais do fim do encanto no relacionamento




1 – Adotar um enfoque limitado: no momento em que se desencadeia uma crise de casal, o mais comum é que cada uma das partes tome a sua posição e “morra com ela”. É muito difícil “dar o braço a torcer”. É necessário entender que o casamento não é uma batalha que se deve ganhar ou perder.Considerar apenas o seu ponto de vista não valerá de nada.

Isso não significa que temos que aceitar tudo o que o parceiro diz, mas sim que devemos ser mais abertos para as opiniões do outro. A maneira mais rápida de desencantar uma pessoa tem a ver com ser inflexível, tentar impor uma postura sem ouvir as razões que sustentam a posição da outra parte.



Então, da próxima vez que surgir um problema, tente se acalmar e encontrar uma solução para ambos. Expressem o que sentem e tentem manter o equilíbrio em seus pontos de vista, para que ambos fiquem satisfeitos.

2 – Desejo de “fugir”: essa sensação de asfixia, de falta de ar ou de liberdade, não é boa. Principalmente se um dos dois nunca enfrenta os conflitos, sai batendo a porta e retorna muitas horas mais tarde.

Fugir também pode significar gastar menos tempo com a outra pessoa, ou seja, distanciar-se “emocionalmente”, que é sinônimo de um voo simbólico, daquilo que está acontecendo lá dentro.

Você pode dormir o dia todo com alguém e estar muito mais longe do que se vivesse a milhares de quilômetros de distância. Quanto mais tempo durar este estranhamento, maior será a decepção e menos possibilidade existirá de uma solução dos problemas.

3 – Culpar o outro: a partir do momento em que as frustrações estão em ascensão no relacionamento do casal, tentamos encontrar um culpado, que nunca somos nós mesmos. É muito difícil, ou quase impossível, olhar para dentro e aceitar as nossas responsabilidades pelo que está acontecendo.

Isso não significa que temos toda a culpa; trata-se de um equilíbrio. Não culpe o outro por ser o caminho mais curto ou mais fácil, mas também não fique centrado apenas em seus erros, pois isso só vai servir como combustível para o fogo do desencanto e da decepção. Vale a pena dizer “eu estava errado” e “tem razão” para recuperar esse vínculo.

4 – Perder a alegria: se você já não espera mais com alegria para encontrar com o seu parceiro, se você se sente indiferente na presença dele/a, se não aparecem mais as borboletas no estômago para vê-lo, se você não sente mais alegria, se você não sente falta quando seu parceiro vai viajar ou se a presença dele incomoda, você deve parar e avaliar o que é o que está acontecendo com você e o que está acontecendo com o casal.

Se vocês não apreciam a companhia um do outro, se vocês preferem fazer centenas de outras coisas a estarem um com o outro, é preciso recuar um pouco, analisar quais os erros estão sendo cometidos e tentar chegar a uma solução.

5 – Focar nos erros: sempre olhar com maus olhos para o outro é um sinal de que o encanto acabou. Até o mais insignificante ato que antes você não ligava agora se tornou motivo de briga.

Por que antes você não dava atenção a isso e agora dá? Prestar atenção apenas nos erros não nos permite ver o lado bom do outro, que é, sem dúvida, maior que os seus defeitos e erros. É impossível que o outro tenha perdido da noite para o dia todos os atributos positivos que fizeram você se apaixonar.