quinta-feira, 17 de dezembro de 2015



Cantam o amor em verso e prosa,
mas sempre o amor dos amantes,
como se tão nobre sentimento,
apenas esta forma tivesse.


O amor é infinito,
diversos tipos ele tem,
de diversas formas se mostra,
e em todas é perfeito.


Amor de mãe, de pai, de irmão,
amor de amantes, aceitos são,
mas aquele amor fraterno, universal,
ah! este sofre barreiras.


Um gesto de amor, ao sexo oposto,
é sempre mal interpretado,
olhos maliciosos o envolve,
lingua maledicente o denigre.


Fica bem pouco à vontade,
quem esse amor pratica,
deixando-se levar pelo coração limpo,
torna-se alvo fácil da maldade.


Pobres seres estes humanos,
deixam a  malícia e a maldade dominarem,
colocam dúvida nos corações puros,
que lágrimas de incompreensão choram.


Mais de dois mil anos se passaram,
e quanto mais terão que passar,
para que finalmente entendam,
que só o Amor pode salvar.

Textos Contextos e Reflexões