quarta-feira, 25 de novembro de 2015

VIVEMOS PARA AMAR



Vivemos para amar e não para destruirmos cada alma em centenas de pedaços. Vivemos todos os dias para poder abraçar, para sentir sobre as sete camadas de pele que temos no corpo a emoção, a adrenalina a fazer fervilhar o sangue do nosso corpo, sentir o coração palpitar com muita intensidade quase como se fosse um ataque cardíaco. Quando já nada importa parece que a vida deixa de fazer sentido, tudo deixa de fazer sentido e caímos numa decadência quase infinita de choro, de profunda tristeza que nos faz chorar, cobrindo o rosto de mágoa e de mágoas que nos fazem querer arrancar o coração, que nos fazem querer gritar, querer chorar de tanta ganancia que algumas pessoas fazem sobre os nossos corpos, sobre as nossas pessoas, sobre as nossas almas. E por vezes somos esses fantasmas, aos olhos dos outros não passamos de um monstro, de um demónio, de um filho do diabo que nos amou de maneira diferente, que nos roubou a ingenuidade, transformando-nos em pequenos diabos perante os olhos dos outros.

Pensamento Infinito