quarta-feira, 25 de novembro de 2015

REGRESSO

Quando ela voltar

Frederico Elboni




Hoje, digo aos céus como eu queria que ela voltasse. Mas voltasse devagar. Sem implorar. Voltasse consciente da calmaria gostosa que vivíamos. Pois, na certeza que o nosso relacionamento era pluma, vivo sem muita euforia, esperando ela voltar, para dividir o meu amor, que, hoje, ainda é todo dela.