sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Paris Photo, Salão Internacional de Fotografia

Mais de uma dezena de fotógrafos portugueses no Paris Photo
As obras de vários fotógrafos portugueses vão ser expostas no Paris Photo, salão internacional de fotografia, de 12 a 15 de Novembro, no Grand Palais, na capital francesa, apesar de apenas duas galerias portuguesas participarem no evento.
 

A 19.ª edição do Paris Photo vai contar com 147 galerias de 34 países, devendo ser expostas fotografias de 1.240 artistas, entre os quais dos portugueses Helena Almeida, João Tabarra, Pedro Barateiro, João Penalva, Didier Faustino, Carla Cabanas, Noé Sendas, Paulo Nozolino, Edgar Martins, Armindo Cardoso e Gerard Castello-Lopes.

No Grand Palais vão também estar à venda fotografias dos angolanos Kiluanji Kia Henda, Edson Chagas e Jean Depara, do moçambicano Filipe Branquinho e dos brasileiros Sebastião Salgado e Vik Muniz.

Presente no Paris Photo desde 2010, a galeria Filomena Soares vai apostar mais uma vez nos trabalhos dos portugueses Helena Almeida, João Tabarra, Pedro Barateiro, João Penalva, Didier Faustino e do angolano Kiluanji Kia Henda, entre outros artistas internacionais.

A fotografia de Helena Almeida "Lavada em Lágrimas" (2009) foi selecionada para estar na exposição "ACQUA #6", ao lado de onze obras relacionadas com o tema da água na fotografia, "no salão nobre do Paris Photo", patrocinado por Giorgio Armani, disse à Lusa Manuel Santos, diretor da galeria Filomena Soares.

Manuel Santos lamentou a falta de apoios institucionais às galerias portuguesas: "Nós, galeristas, não temos apoios rigorosamente nenhuns. Há apoios para a internacionalização da indústria do calçado e têxteis e nós não temos nada. Temos de ir com meios próprios e nem todos têm, porque são eventos que ficam caríssimos, com 'stands', viagens, transportes, seguros. É mau para todos, sobretudo para os artistas", afirmou.

Também a galeria Carlos Carvalho Arte Contemporânea volta a estar presente no Paris Photo, pelo terceiro ano consecutivo, e, apesar de, "por vezes, se perder muito dinheiro, é quase um dever estar em Paris", explicou à Lusa Carlos Carvalho.

"Somos tão pequeninos e ao mesmo tempo apequenamo-nos tanto - basta ver a nossa política que nem sequer ministério da Cultura tinha até aqui. Os nossos soberanos não têm ideia nenhuma do que é o esforço e a importância extraordinária de estar no Paris Photo. Se não aparecemos somos esquecidos", acrescentou o galerista.

Carlos Carvalho vai ter um espaço com três paredes, uma para cada fotógrafo: os portugueses Carla Cabanas e Noé Sendas e o alemão Roland Fischer.

"O Noé está muito ligado à desconstrução do corpo da mulher e à moda e trabalha com o mistério como obra poética. A Carla [Cabanas] trabalha a memória e o tempo num trabalho em que a fotografia é intervencionada como se fosse o tempo a passar pela fotografia e o que fica é o pó. O Fischer vai trabalhar, quer as fachadas dos edifícios, quer as arquiteturas muito contemporâneas em que ele mostra também um certo mistério", descreveu.

Há ainda fotógrafos portugueses que marcam presença durante sessões de assinatura de livros, no 'stand' da livraria japonesa Komiyama Tokyo, como José Pedro Cortes com "One´s Own Arena", a 13 de novembro, Daniel Blaufuks, com "This Business of Living", a 14 de novembro, no mesmo dia em que André Príncipe vai assinar "Tokyo Diaries", o fotolivro que fez com Marco Martins.

Também o artista visual português Paulo Nozolino vai apresentar a nova exposição e livro com o mesmo título - "J'étais là" -, no Espaço "Leica Camera", um trabalho criado em residência com o fotógrafo Stéphane Duroy.

Paralelamente ao Paris Photo, a Escola de Belas Artes de Paris vai acolher o Offprint Paris, um salão de editores de livros de arte, no qual voltam a participar as editoras de fotografia portuguesas Pierre von Kleist e Ghost Editions.

Por outro lado, a 14 de novembro, José Pedro Cortes vai estar, com o livro "One´s Own Arena", numa sessão de assinaturas no museu de fotografia LE BAL, durante a feira LE BAL Books, que decorre de 11 a 14 de novembro, e o fotógrafo André Príncipe vai projetar o documentário "Traces of a Diary - Fragmentos de um Diário" (2010) - correalizado com Marco Martins -, a 13 de novembro, no clube Silêncio, o espaço concebido pelo realizador David Lynch na capital francesa.