quinta-feira, 26 de novembro de 2015

O SWATCH CRIADO POR JOANA DE VASCONCELOS





Tudo começou com um e-mail sugerindo o nome de Joana Vasconcelos para criar um relógio para a Swatch. Quando deu por si, a artista portuguesa estava com a marca na 56ª Bienal de Veneza, com o projeto Giardano dell’Eden, nos Giardini. E com esta instalação vai participar, com o apoio da Swatch, nas comemorações do Jubileu no Vaticano, revela o site Dinheiro Vivo.

Desde 1985 que a marca suíça tem vindo a convidar artistas como David La Chapelle, Keith Haring ou Vivienne Westwood a produzir um relógio para a série Art Special. É a primeira vez que um artista português produz um relógio para a Swatch. São apenas 999 exemplares. Mas LooksEasy, apesar do nome, foi tudo menos fácil. “Houve um momento em que ninguém sabia bem se o projeto ia avançar”, confessa Joana Vasconcelos. “A minha ideia foi fazer um Swatch que estivesse ligado à tradição, a Portugal, que tivesse duas matérias muito diferentes, o metal e o plástico, o passado e o futuro, a tradição e a contemporaneidade.”

Desenhou um mostrador feito em filigrana e foi a Viana do Castelo falar com o Manuel Freitas, o criador dos brincos de filigrana de Amália. LooksEasy colocou em confronto duas formas de trabalhar. De um lado o trabalho artesão de filigrana, por outro, o modo industrial do fabrico da Swatch. “Iria ser muito complicado porque a Swatch é feita de uma forma industrial e mecanizada e isto obriga a desmontar o relógio e fazer tudo manual”, lembra Joana Vasconcelos, que recebeu a notícia estava já na Bienal de Veneza, a convite de Carlo Giordanetti, depois de o diretor criativo da Swatch ter visitado o ateliê da artista em Lisboa para discutirem o relógio.

Mas a Swatch gosta de desafiose adora “responder a desafios baseados na paixão artística e não na tecnologia”, garante Carlo Giordanetti. LooksEasy é um projeto que fez toda a equipa Swatch “muito orgulhosa”, confidencia. Foi a primeira vez que um relógio da marca foi montado manualmente. “Fazer isso é único. Mas a Joana como artista é também muito singular.”

A sugestão do nome de Joana Vasconcelos para a série Art Special veio de Portugal, de Salomão Kolinski, administrador da Tempus Internacional, representante da marca. Carlo Giordanetti não só conhecia o trabalho da artista como ficou seduzido pela ideia de uma artista conhecida pelo “gigantismo das suas peças, criar um objeto tão pequeno como um relógio”.

De Portugal seguiram os mil mostradores feitos em filigrana e os 999 exemplares [o primeiro está no pulso de Joana Vasconcelos] começam a ser comercializados. “Há uma procura muito grande. Em Portugal, por ser uma artista portuguesa e, internacionalmente, pela raridade da forma como foi concebido, está a criar interesse nos colecionadores”, diz Salomão Kolinski. Na rede Swatch tem havido disputa em torno dos LooksEasy. Portugal vai ter uma “quota maior: mais de cem exemplares”.





Bom dia Europa