terça-feira, 24 de novembro de 2015

O QUE APRENDI COM O TEMPO



Aprendi que confiança é a base de qualquer relacionamento, seja ele amoroso ou não. E que desconfiança demais é, na verdade, insegurança.
Aprendi que ciúmes é tempero e não se pode salgar a comida.
Aprendi que carinho nunca é demais e que a falta dele dói mais do que topada na quina da mesa.
Aprendi que possessividade é uma doença muito grave que pode matar relações e amizades.
Aprendi que os medos sempre existirão, mas que podemos transformá-los em desafios.
Aprendi que respeito é algo que se conquista e não pode ser comprado ou exigido.
Aprendi que sentimento não é brinquedo e que, bom ou ruim, não pode ser ignorado.
Aprendi que dizer “Não” é fundamental para a liberdade individual.
Aprendi que sentir saudade é bom, é a prova de algo bem vivido.
Aprendi que não existe colo melhor do que o de mãe.
Aprendi que dinheiro é importante, mas não é fundamental.
Aprendi que amizade, de verdade, vai além do tempo e dos erros cometidos.
Aprendi que as pessoas não têm preço e são únicas.
Aprendi que atitudes valem mais do que palavras.
Aprendi que mentira sempre aparece, leve o tempo que for.
Aprendi que os verdadeiros atraem os verdadeiros.
Aprendi que amor próprio é o alicerce da felicidade.
Aprendi que tomar água faz bem mesmo.
Aprendi que as broncas são merecidas quando vindas de pessoas que nos amam.
Aprendi que bebida e WhatsApp não combinam.
Aprendi que fugir nunca é a melhor saída.
Aprendi que os outros não são responsáveis pelas minhas escolhas.
Aprendi que viver do que se ama é a melhor maneira de ganhar dinheiro.
Aprendi que sexo é bom, mas com amor é melhor ainda.
Aprendi que ler é fundamental para a minha formação intelectual.
Aprendi que o amor, às vezes dói, mas que é o propósito da vida.
Aprendi que um relacionamento só dá certo quando o sentimento é maior que o orgulho.
Aprendi que a sinceridade deve vir sempre acompanhada do bom senso.
Aprendi que nada acontece por acaso.
Monika Jordão