terça-feira, 24 de novembro de 2015

O MEU OLHAR





sei que por vezes o meu olhar pode magoar, pode incomodar, poder maltratar até a alma mais carinhosa de todas. Não tenhas medo de mim. O diabo acha que tem controlo sobre mim, a vida acha que tem tudo sobre controlo e eu julgo que o meu olhar faz mal, quando provavelmente sou eu que o torno tão mau, que o torno tão maléfico. Perdoa-me, pois essa não é a minha intenção. A minha intenção é passar a mensagem de que sou forte, de que sou capaz de te segurar pela mão e beijar-te o rosto com toda a delicadeza possível, que também choro como qualquer outro animal. Eu percebo como eu posso ser cruel, como te posso fazer cair com um simples olhar. Que posso até achar que te estou a olhar carinhosamente e, na realidade, estou a olhar-te com olhos de leão pronto a devorar a presa parada diante de si/mim.

Se te assustei, não foi por eu querer. Se eu te fiz sentir mal ou desprezada, tira essa ideia da cabeça, pois não quis que tivesses essa ideia ou te sentisses assim por minha causa.



Autor: Pedro Miguel