sexta-feira, 6 de novembro de 2015

M. JACKSON, O MAIS RICO DO CEMITÉRIO




Michael Jackson, o "Rei do Pop", o mais rico do cemitério, segundo a Forbes


EUA cantor Michael Jackson, durante o concerto que deu no Estádio Vicente Calderón, em Madrid (1992). EFE / Arquivo


Após ter sido desbancado no último ano pela atriz americana Elizabeth Taylor, o cantor Michael Jackson recuperou o trono dos artistas falecidos que mais geram lucros, indicou nesta quarta-feira a revista "Forbes" através de sua lista

A publicação detalhou em seu site que os herdeiros do “Rei do Pop” ganharam US$ 160 milhões somente entre junho de 2012 e junho de 2013, uma quantia que também supera os US$ 125 milhões embolsados pela Madonna, a artista viva que mais lucrou no período citado.

Essa é a terceira vez nos últimos cinco anos que Michael Jackson lidera esse ranking, desta vez graças às receitas geradas por dois espetáculos do Cirque du Soleil inspirados no cantor.

O segundo lugar desta lista da “Forbes” é ocupado por outro “rei” da música, neste caso o do rock, Elvis Presley, que gerou receitas superiores aos US$ 55 milhões, enquanto o cartunista americano Charles M. Schulz, o criador de Snoopy, arrecadou US$ 37 milhões e aparece na terceira posição.

Na sequência da lista, aparecem: a atriz Elizabeth Taylor (4), com US$ 25 milhões; o cantor Bob Marley (5), com 18 milhões; a também atriz Marilyn Monroe(6), com US$ 15 milhões, e o cantor e compositor John Lennon (7), com US$ 12 milhões.



Albert Einstein (8), cujos herdeiros ganharam US$ 10 milhões no último ano, e atriz Bettie Page dividem o posto da lista, assim como Theodor Geisel, conhecido como Dr.Seuss e autor dos livros que inspiraram o filme “O Gato” (2003), e o ator Steve McQueen dividem a nona posição com US$ 9 milhões.

O ‘top 10′ da lista de artistas que mais geraram lucros depois de mortos é encerrado com Bruce Lee (10), que arrecadou US$ 7 milhões, e a cantora mexicana Jenni Rivera (10), que faleceu em dezembro de 2012 e aparece pela primeira vez neste ranking da “Forbes”.

Desde sua trágica morte em um acidente de avião no México, a cantora vendeu mais de 880 mil discos – praticamente a mesma quantidade alcançada durante toda sua carreira -, além dos lucros gerados com sua participação em um “reality show” e com o lançamento de sua autobiografia.


(practica ESPAÑOL)