sábado, 21 de novembro de 2015

Lembranças Perfumadas


 Encontrei este texto e achei lindo.




Hoje quero te convidar para uma viagem…

Voltar os pensamentos a infância, lembrar do cheiro do café da sua mãe, da sua avó, o cheiro do fogão a lenha… Do perfume daquela pessoa que você não vê a tempo… Os aromas definem a personalidade, revelam segredos, expõem gostos e marcam vivências…


Há momentos fundamentais na vida que são marcados pelos cheiros que ficaram em nossa memória.
Pássaros cantando, cheiro de pão fresco e de café recém coado são bons indícios de que um novo dia começa. Logo terá inicio o corre corre do trabalho, dos estudos, dos afazeres domésticos… Do cheiro das férias, de Natal, cheiro de alegria…
É impressionante como o perfume das coisas e das pessoas nos levam para outros lugares… Cheiro da terra molhada, de campo, de praia… cheiro de casa cheia, panelas tilintando no fogão para encher a mesa que vai presenciar a algazarra dos encontros de família, dos amigos, os abraços gostosos, aquele doce que só nossas avós sabem fazer…
Quero te levar a sentir os melhores perfumes, que te dizem tanto… Sim podemos tê-los sempre conosco! Perfumar a vida, ser perfume e cores para as pessoas… Dar um cheiro… como se diz na Bahia… um cheiro gostoso… Ficar descalço, pisar na terra firme, na areia que ora é banhada pelas águas do mar, no seu vai e vem e sentir o cheiro de maresia… E a maresia te faz lembrar de outros verões, dos próximos, da liberdade, do infinito… de poder de sonhar sempre!
Experimente sentir o perfume dos eucaliptos, das flores do campo, das lavandas… que te transportam para outro lugar… do beijo roubado, do abraço apertado…
E como nos fala a música de Toquinho…


“Era uma vez um lugarzinho no meio do nada, com sabor de chocolate e cheiro de terra molhada… Era uma vez a riqueza contra a simplicidade uma mostrando prá outra quem dava mais felicidade… Prá gente ser feliz tem que cultivar as nossas amizades, os amigos de verdade… Prá gente ser feliz tem que mergulhar na própria fantasia e na nossa liberdade… Uma história de amor de aventura de magia, só tem haver quem já foi criança um dia…”
O perfume do Natal vem acompanhado das luzes, mas vem com grandes abraços, com o colo que às vezes tanto precisamos, com a casa cheia de amigos e família, mas, sobretudo tem cheiro de nascimento… Nascimento, vida nova, recomeço, cheiro do novo, cheiro do milagre… Perfume de Jesus! Traz também o cheiro de mãe… que a nada se compara!!!
Sinta também o vento gostoso do Nordeste te acariciando o rosto, trazendo o perfume do rio e das flores.
E então nos damos conta de como o simples fato de sentir o perfume das coisas nos faz tão feliz na simplicidade da vida…
Ter memória afetiva é ter raízes… é poder fazer esta viagem e se deixar levar no tempo, no perfume e lembranças de nossas vivências… É acordar e ser feliz com o pouco, que se traduz no muito!!!


Coisas tão simples, como um cheiro, uma lembrança, o perfume que nos encanta a vida que muitas vezes nos esquecemos de sentir no dia-a-dia automatizado de nossas vidas… Mas viver no piloto automático é para as máquinas… somos seres divinos vivendo uma experiência humana, e por isso, espero que você hoje tenha feito uma viagem nos melhores perfumes e cheiros de sua vida…
E mais do que isso, que você nunca perca a essência do seu perfume, para com leveza embalar os seus sonhos e dos que convivem com você… um cheiro gostoso… com lembranças perfumadas…
Então, como tão bem nos diz Drummond…


”Desejo a vocês… Fruto do mato, cheiro de jardim, namoro no portão, domingo sem chuva, segunda sem mau humor, sábado com seu amor, filme do Carlitos, chope com amigos, crônica de Rubem Braga, viver sem inimigos, filme antigo na TV, ter uma pessoa especial e que ela goste de você, música de Tom com letra de Chico, frango caipira em pensão do interior, ouvir uma palavra amável, ter uma surpresa agradável, ver a banda passar, noite de lua cheia, rever uma velha amizade, ter fé em Deus, não ter que ouvir a palavra não nem nunca, nem jamais e adeus. Rir como criança, ouvir canto de passarinho. Sarar de resfriado escrever um poema de Amor que nunca será rasgado, formar um par ideal, tomar banho de cachoeira, pegar um bronzeado legal, aprender um nova canção, esperar alguém na estação, queijo com goiabada, pôr-do-sol na roça, uma festa, um violão, uma seresta, recordar um amor antigo, ter um ombro sempre amigo, bater palmas de alegria. Uma tarde amena, calçar um velho chinelo, sentar numa velha poltrona, tocar violão para alguém ouvir, a chuva no telhado, vinho branco, bolero de Ravel e muito carinho meu.”

 

Beth Landim