quinta-feira, 19 de novembro de 2015

JÁ NÃO ACREDITO NO PAI NATAL !


A mulher é que manda 
Como eu compreendo tão bem a autora do artigo!!! A nostalgia daqueles tempos da infância dos meus filhos...a excitação,a ansiedade,o medo de a carta não ter chegado ao Pai Natal...tantas emoções! É o interessante é que elas eram contagiantes. Eu próprio vivia esse tempo numa azáfama esfuziante,sempre na expectativa de corresponder aos seus anseios! Como o Tempo passa!!!
Já não acredito no Pai Natal! Com a aproximação da do Natal, recomeçam as conversas sobre a existência ou não do famoso Pai Natal. Já no ano passado começaram as dúvidas, pois na escola alguns amigos já sabem que não existe e falam no assunto, mas ainda consegui disfarçar “a coisa” apesar de já ter sentido algumas dúvidas no ar. Mas este está a ser o ano que acabam as magias, deixaram de acreditar no Coelhinho da Páscoa, na Fada dos Dentes e agora chegam a casa a dizer que o Pai Natal não existe. 

pai natal
Apesar de ter pena, compreendo que não as posso “obrigar” a acreditar numa mentira até aos 18 anos e tendo já a mais velha 8, começa a ser impossível manter a história. Claro que a mais nova, ainda com 6, insiste que ele existe e pede-me para confirmar. Como não sou muito boa a mentir, apenas lhe disse “Cada um acredita no que quer” e ela diz que acredita e eu deixo-a viver durante mais um tempo no mundo da fantasia, pois lembro-me em pequenina o que era a magia e excitação, quando ainda acreditava nessa figura mítica.
Confesso que quando elas eram mais pequeninas, tive algumas dúvidas se introduzia esta história do Pai Natal na vida delas. Porque lhes havia de mentir propositadamente?! Mas existem algumas questões que são difíceis de fugir, como o Pai Natal, o Coelho da Páscoa, a Fada dos Dentes… Tive de desistir e usar aquela velha máxima “Se não os podes vencer, junta-te a eles”. Quando a mais velha percebeu que o Pai Natal não existia, disse-me a seguinte frase “Óh mãe, se eu não descobrisse que o Pai Natal não existe, os meus filhos nunca iam receber presentes!”. Adorei a preocupação…
Isto são tudo indicadores que a partir de agora o Natal vai ser diferente, sem aqueles momentos inesquecíveis de ansiedade com a hora de chegada do Pai Natal. Foi uma etapa da vida que já passou, é sinal que estão a crescer. É bom sinal, mas dá alguma pena.