segunda-feira, 9 de novembro de 2015

É chato...


Pintura de Loui Jover art



É chato quando a gente sente coisas muito boas mas não tem como registrar numa foto. Quando uma música, uma poesia ou um texto talvez façam o trabalho por nós – mas não se encaixam nas circunstâncias. É chato porque em alguns momentos parece que nosso corpo pede “avisa, avisa que está sentindo isso! que é bom! que você não quer parar!” – mas a gente se perde tentando encontrar a palavra ou o gesto certo, e o momento passa.

Passa mas não permite que você o esqueça. Você pode facilmente se livrar de objetos, musicas, poemas, textos, fotografias. De lugares. Mas não é tão simples se livrar da sensação. Das memórias.

O que é bom fica ali, pra sempre – começa doce, em algum momento vira dor e, quando você menos espera, é só uma pintura opaca nas paredes da memória. Uma música baixinha, ecoando em vão. Cenas de um filme que provavelmente não terminou bem.

Ariane Freitas
http://lovemaltine.com.br/