sexta-feira, 6 de novembro de 2015

DIAS DE UM PESSIMISTA...



Cabelos enrolados, encaracolados, cacheados, que brilham no mais intenso raio de sol. Lábios intocáveis, que de mel parecem ser feitos. Olhos escuros, mas que penetram o mais porfundo da minha alma.
Garota. Queria te chamar de minha, ou melhor, de meu, amor eterno. Porém, por erros meus, tu nem ao menos sabe destes versos, nem sei se pensas em mim.
Pobre moço sofredor, que padece antecipadamente. Ah distância desgraçada, que descaradamente me mata a cada segundo que se passa. Amor, por que fui te amar ? Amor por que a vida me fez te encontrar ? Razões minhas tornando-se loucura ao ver tua ternura.
Vida mísera, como Jesus pôde suportar dor maior que a minha e ainda perdoar tudo o que sou ?
Sou apenas carnificina, pois nem essa mulher-menina posso encantar. Sinto-me pior que o nada. Menor que quarks e com um coração que bate a milhão como uma quasar ! À luta ou à cova ? Quem irei encontrar ? Futuro inserto de um inseto que perambulando pelos becos da vida um dia deseja lhe encontrar e teu príncipe se tornar !

Bobagens de um tagarela, pois todos sabem que mesmo que eu te ame a ponto de estourar, tu nem sebes o que é o "eu te amar" !
Pois estes são dias de um pessimista que não tolera a propria existencia.
Hugo Floriano