quinta-feira, 29 de outubro de 2015

SERÁ IMPORTANTE OU INSIGNIFICANTE???

"AS PEQUENAS COISAS PARECEM INSIGNIFICANTES, MAS DÃO-NOS A PAZ".
(Georges Bernanos)

Será importante Pregar uma nódoa no vestido ou insignificante?
Será importante Pisar "porcaria" na rua ou insignificante?
Será importante Ficar com insónia ou insignificante?
Será importante Partir um copo ou insignificante?
Será importante Chegar atrasada a uma festa ou insignificante?
Será importante Ir sozinha ao cinema ou insignificante?
Será importante Omitir certos acontecimentos ou insignificante?
Será importante Reconhecer um erro ou insignificante?
Será importante Olhar uma flor infinitamente ou insignificante?
Será importante Olhar atentamente o céu estrelado ou insignificante?
Será importante Sorrir a uma pessoa desconhecida ou insignificante?
Será importante Esquecer o aniversário de uma amiga ou insignificante?
Será importante Correr para apanhar o comboio ou insignificante?
Será importante Dizer uma mentira " piedosa " ou insignificante?
Será importante Esquecer as chaves de casa ou insignificante?
Será importante Não acordar com o despertador ou insignificante?
Será importante Não atender o telefone ou insignificante?
Será importante Não seguir as regras que o médico indicou ou insignificante?
Será importante Não comparecer a um encontro ou insignificante?
Será importante Não dizer " bom dia" ao acordar ao companheiro ou insignificante?
Será importante Não entregar atempadamente um livro na biblioteca ou insignificante?
Será importante Não responder a uma mensagem ou insignificante?

Será importante....................ou insignificante?


Existem tantos actos ou acções que praticamos no nosso dia-a-dia sobre os quais nos questionamos quotidianamente , que seria exaustivo inumerá-los...
Para mim, a verdade é que tudo é relativo e subjectivo.
Recordo,e com saudades, quando em criança se partia um copo, lá em casa. O meu pai detestava a nossa falta de geito,o nosso descuido . Para ele, era um acto imperdoável. Para mim,insignificante!
Ao longe de tantos anos, continuo sem entender o porquê de tanto alarido...

Creio que a importância "das coisas " não está nos actos em si, mas no modo como nós,seres humanos,os encaramos. Somos todos tão diferentes, ( e ainda bem) que aquilo que me possa parecer insignificante,como o esquecer das chaves, para outra pessoa pode ser uma "tragédia" . Possivelmente questionar-se-á se terá alguma doença do foro neurológico, ou entrará numa ansiedade desmedida.

Creio que não há normas para estes "pequenos senão ".  O bom senso deve prevalecer ( mas será que ele próprio não é subjectivo???).
Na minha opinião,o mais importante é sermos felizes. E cada um de nós tem de encontrar essa Felicidade!


Texto da minha autoria