segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Cuidado e Amor...








CUIDADO E AMOR: A VIDA NA ENCRUZILHADA DO DEVIR...

Jorge Bichuetti



Cuidar é acolher; acolher é incluir... Mas, não podemos esquecer que incluir é produzir um mundo de vida, liberdade e alegria, de direito à diferença; uma vez que todo adoecimento físico ou psíquico é mortificado, negado ou desvalorizado pela exclusão das singularidades... E sendo a saúde e a doença um modo de andar a vida, é uma singularização excluída, uma insurgência rebelde que contesta a ditadura da normalidade...
***
Não é possível cuidar fora do espectro das relações transversais... Urge potencializar no corpo adoecido uma capacidade de afirmação ativa da vida... Romper a passividade e verticalidade do cuidado excludente, dando ao corpo singularizado numa dor voz e caminho para protagonize a reinvenção de novos modos de ser e estar no mundo... onde não seja estigmatizado e negado a vida singular na vulnerabilidade de um processo de reinvenção de si mesmo e do mundo instituído...
***
A corpo adoecido é um corpo profético: denuncia a falência da vida organizada no paradigma da opressão, exploração e mistificação... da vida de repetições cinzentas e vazias; e anuncia a necessidade de um novo mundo de ternura e compaixão, com corpos vitalizados na capacidade de sonhar e ser sonhados... voos da liberdade na intensidade dos bons encontros e das paixões alegres... um caminho e um horizonte de amor e solidariedade...
***
Assim, cuidar, como educar, é impregnar-se de sentidos...
***
Há um cuidado dominante que é basicamente adaptacionista e reducionista; nele, se restabelece a unidade robotizada em cheque com ataduras, recalchutagem e concertos resilientes...O cuidado amoroso e terno, libertário, agencia a potência rizomática e singularizante da vida... Amplifica a vida com a emergência dos devires, eus não-paridos... E faz a vida florescer na primavera da aurora que instala no coração do mundo novas relações... um mundo que cabe anjos e guerreiros, índios e velhos, crianças e loucos... a arte e a magia... a vida desejante no voo alegre dos nossos corações de meninos...


Jorge Bichuetti - Utopia Ativa