segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Site extramatrimoniais


O ataque informático ao Ashley Madison, o site canadiano que promove encontros extramatrimoniais, continua a dar que falar. Agora soube-se que Noel Bidermann, o seu fundador e CEO, tentou utilizar os emais dos utilizadores de um site rival. A revelação consta de emails trocados entre Bidermann e o responsável informático da Ashley Madison, Raja Bhatia, após este lhe ter comunicado que descobrira uma falha de segurança no sistema da empresa rival.
Bhatia invocou motivos de consciência para não ser ele próprio a roubar a informação – o facto de ser crime também poderá ter sido relevante –, mas, perante o entusiasmo do seu patrão, poderá ter-lhe dado as indicações necessárias para ele próprio o fazer. Entretanto, soube-se segunda-feira que pelo menos duas pessoas, talvez três, se terão suicidado por causa do hacking à Ashley Madison. Ao anunciar o facto como possível, a polícia canadiana não forneceu detalhes, mas pareceu sugerir que se tratava de pessoas ligadas ao ataque, não vítimas dele, como inicialmente se pensou.
Recordemos como tudo começou. Em julho, um grupo de hackers que se autodenominou “The Impact Team” anunciou que tinha obtido os dados de milhões de clientes do site. Ameaçou que os poria na internet se a Avid Life Media, proprietária da Ahsley Madison, não fechasse esse site e um outro que oferece serviços afins. A Avid não cedeu e na semana passada o Impact Team cumpriu a promessa, descarregando na internet cerca de 10 gygabites de informação.
A notícia correu mundo: dois dias depois do ataque inicial, o Impact Team voltou segunda-feira à carga, fazendo um segundo depósito de informação na internet. Foi quase o dobro do primeiro em volume, e agora não se trata apenas de dados sobre clientes. Também há emails do fundador da Ashley Madison e o próprio código que é utilizado nas aplicações da empresa. Se alguma dúvida restava de que os hackers entraram completamente no sistema…

Luís M. Faria, Expresso