terça-feira, 29 de setembro de 2015

A ARTISTA PLÁSTICA JOANA DE VASCONCELOS

Joana Vasconcelos


"Néctar" (2006), Coleção Berardo, Lisboa.
Joana Vasconcelos ComIH (Paris8 de dezembro de 1971) é uma artista plástica portuguesa.
Representa Portugal na Bienal de Veneza[1] de 2013, depois de se afirmar internacionalmente na exposição que fez no Palácio de Versalhes[2] , por convite feito em 2012 pelo Presidente da instituição, Jean-Jacques Aillagon, dando seguimento ao programa de arte contemporânea iniciado em 2008. Depois do americano Jeff Koons, dos franceses Xavier Veilhan e Bernar Venet e do japonês Takashi Murakami, Joana Vasconcelos será a primeira mulher[3] e a mais jovem artista contemporânea a expor em Versalhes, exposição essa que teve o maior número de visitantes dos últimos cinquenta anos à sua data.
A representação na Trienal de Echigo Tsumari, no Japão, em 2006, a exposição Contaminação, em 2008, na Pirocateca do Estado de São Paulo, no Brasil, ou a participação na importante exposição colectiva Un Certain État du Monde? A Selection of Works From François Pinault Foundation Collection, realizada no Garage Centre for Contemporary Culture, em Moscovo, em 2009, deram sequência a uma singular carreira internacional. Sem Rede, a grande antológica apresentada em 2010, no Museu Colecção Berardo, constituiu um enorme sucesso junto do público, estabelecendo-se como a exposição, realizada em Portugal, mais visitada de sempre. Em junho 2011, a instalação “Contaminação de Vacas (Se as vacas voassem, Chovia leite)" abriu a importante exposição colectiva The World Belongs to Yolo, que o Palazzo Grassi inaugurou em junho de 2019. Inaugura nova exposição em Portugal (23 de março a 25 de agosto de 2013) no Palácio Nacional da Ajuda, Lisboa[4] [5] .